Publicidade: ACESSA BAHIA
Governo

Governo petista vai leiloar Cesta do Povo na próxima segunda-feira em Salvador

Ruy Costa deixou sucatear a empresa e agora coloca em leilão

22/02/2018 20h56
Por: Redacao
Fonte: CeA
843
A Cesta do Povo foi sucateada nos governos petistas
A Cesta do Povo foi sucateada nos governos petistas

Durante os governos petistas, a Cesta do Povo sofreu um processo de sucateamento, e levou a uma privatização intencional por parte do Governo da Bahia. A Cesta do Povo foi criada em 1979, pelo então governador Antonio Carlos Magalhães e o seu foco era subsidiar os principais produtos da cesta básica para tornar acessível à população de baixa renda. Chegou a estar presente em 242 municípios baianos com um total de 300 lojas.

O leilão da Empresa Baiana de Alimentos (Ebal), que administra as lojas da Cesta do Povo vai acontecer na próxima segunda-feira, 26, às 10h, no auditório da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (SDE), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

O valor mínimo para as propostas não foi divulgado. O governo anunciou a intenção de vender a empresa em 2015, estima-se que a dívida da Ebal seja de pouco mais de R$ 40 milhões. O edital do leilão está disponível no site da SDE.

Funcionários

Em 2017, uma ação civil do Ministério Público do Trabalho (MPT) determinou que a Ebal readmita mais de 1.700 funcionários que foram demitidos da Cesta do Povo.

Francis Tavares, presidente da Associação Baiana dos Trabalhadores da Ebal/Cesta do Povo, teme que com a venda da rede mais pessoas sejam demitidas. Francis conta que a associação quer que o estado remaneje os funcionários da rede para outros órgãos públicos. "A nossa luta não é pela manutenção da Cesta, é pela manutenção dos empregos", completa.

Segundo a assessoria da SDE, o leilão busca viabilizar o funcionamento das 49 unidades da Cesta do Povo espalhadas pela Bahia e, com isso, manter o emprego dos 787 funcionários. Porém, ainda segundo a SDE, não há garantias de que os empregos serão mantidos.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.